Comprar uma segunda habitação: Tudo o que precisa de saber

Comprar uma segunda habitação: Tudo o que precisa de saber

Tem algum dinheiro poupado e está a pensar em investir numa segunda habitação? Quer ter um espaço onde possa ir de férias ou simplesmente passar um fim de semana com família e amigos? Ou está a pensar em arrendar o imóvel para conseguir aumentar o seu rendimento no final do mês?

Antes de avançar com a compra de uma casa, esta decisão deve ser bem ponderada pelo agregado familiar e saber até que ponto as suas finanças pessoais conseguem sustentar este investimento. Provavelmente ainda estará a pagar o crédito referente à habitação própria e, por isso, é importante calcular todos os custos adicionais que terá com um segundo crédito.

Além disso, existe um conjunto de fatores a considerar antes de avançar com esta decisão.

O que ter em conta no crédito para a segunda casa?

Em primeiro lugar, pedir um empréstimo para a segunda casa tem especificidades distintas à aquisição da habitação permanente. 

Neste caso, o spread que a instituição financeira lhe irá propor será, regra geral, mais elevado do que se fosse comprar a sua primeira casa. A lógica é simples: uma vez que o investidor não depende da segunda casa para poder habitar, o risco de incumprimento no pagamento do crédito é mais elevado. 

Outro ponto a considerar nas condições de um crédito para a segunda habitação é o LTV (Loan-to-Value) que diz respeito à percentagem que o investidor solicita aos bancos relativamente ao valor do imóvel. Na maioria dos casos, este valor é mais baixo para uma segunda casa do que para a habitação própria. Por sua vez, o prazo de pagamento do empréstimo concedido pelas instituições financeiras é, geralmente, mais baixo quando se trata de adquirir um segundo imóvel.

Compare todas as opções de crédito à habitação em Portugal

Antes de escolher um crédito deverá comparar as diferentes ofertas que existem no mercado. Não se cinja ao banco onde já tem uma conta à ordem ou tenha contraído um empréstimo para a sua habitação permanente. 

Os bancos em Portugal oferecem taxas mais ou menos competitivas, sendo que deve concentrar as suas atenções na TAEG, já que representa o custo total do crédito para si (custo que inclui o valor dos juros, encargos, comissões e despesas relativas ao processo de crédito à habitação).

Pode ainda beneficiar de uma redução da prestação mensal se adquirir outros produtos na mesma instituição financeira: desde o cartão de crédito e débito, seguro de vida e multirriscos para a casa, até aos serviços de débito direto, homebanking, entre outros.

Desta forma, poderá adquirir um empréstimo que melhor se adapte às suas necessidades.

Que tipo de imóvel: Moradia ou apartamento? Novo ou usado?

Após ter tomado a decisão de adquirir uma segunda casa, importa escolher bem o tipo de imóvel e a sua localização. Será que prefere um apartamento ou uma moradia? Um imóvel novo ou usado? Se preferir uma habitação usada, é importante que analise o estado da mesma e perceber se terá de investir em algumas melhorias ou numa remodelação mais profunda.

Caso tenha preferência por uma casa nova, deverá fazer uma pesquisa sobre empresas de construção e tentar conhecer outras obras que tenham realizado, de forma a poder ter alguma margem de comparação.

Onde comprar a segunda habitação?

Além de ter em conta o estado da habitação deve ainda avaliar a localização da mesma e as acessibilidades que oferece, nomeadamente supermercados, escolas, farmácias, entre outros serviços.

Quanto mais dinâmica for a zona, provavelmente terá mais interessados em querer arrendar a casa e, por isso, poderá pedir um valor mais alto pelo arrendamento, se esse for o seu objetivo.

Ou mesmo que mais tarde queira vender a habitação, poderá pedir um valor mais alto caso a localização da mesma ofereça as melhores acessibilidades. 

Neste sentido, é essencial que pense a longo prazo para que o seu investimento possa, futuramente, trazer-lhe mais-valias.

Também deverá ter em consideração o preço da água e do IMI (Imposto Municipal de Imóveis), que difere entre municípios.

Comprar para arrendar

No caso de optar por arrendar a habitação, saiba que ser senhorio requer algumas características, nomeadamente disponibilidade e paciência, para resolver algum inconveniente como uma obra de reparação. Além disso, os próprios reparos do imóvel podem sair-lhe caros, pelo que é importante ter um valor de salvaguarda para não ficar com as suas finanças pessoais na penúria.

Quer opte por um arrendamento temporário ou de longo prazo, deverá conhecer os potenciais interessados em arrendar o seu imóvel de modo a obter uma elevada taxa de ocupação.