Leasing imobiliário como alternativa à compra de casa

Leasing imobiliário como alternativa à compra de casa

Numa altura em que o mercado do setor imobiliário está ao rubro, em que os preços dos imóveis não param de aumentar, outras alternativas à aquisição de casas têm ganho cada vez mais adeptos. Uma dessas soluções é o chamado leasing imobiliário.

De acordo com um estudo da Leaseurope – Federação Europeia das Associações de Empresas de Leasing e Renting -, o leasing imobiliário registou um crescimento de 21,4% no primeiro semestre de 2019.

Mas afinal, o que é o leasing imobiliário? Este é um tipo de financiamento que estava mais associado às empresas. Porém, devido à crescente dificuldade em aceder ao crédito habitação, o leasing passou a ser uma opção para alguns consumidores.

Esta é uma solução semelhante ao arrendamento, em que o consumidor pode viver numa determinada casa, através do pagamento de uma renda mensal, sendo que ao fim de um determinado tempo, tem a opção de adquirir o imóvel em caráter definitivo. A vantagem é que na aquisição do imóvel pagará um valor residual, que corresponde ao valor do mesmo menos as rendas que já foram pagas.

No fundo, é estabelecido um contrato entre o locador (empresa de Leasing, geralmente uma instituição financeira) e o locatário (Cliente), em que este último paga uma prestação mensal do imóvel durante um período de tempo acordado no contrato e, que posteriormente, tem a possibilidade de adquirir a habitação por um preço pré-determinado.

Uma modalidade de financiamento com prós e contras

Além de beneficiar de um valor do imóvel mais baixo, pode ainda ter acesso à isenção do Imposto do Selo referente ao crédito e aos juros. Não obstante, o montante correspondente ao IMT pode ser englobado no valor total do financiamento.

Uma vez que grande parte das habitações para leasing imobiliário pertence aos bancos, ao adquirir um desses imóveis poderá beneficiar de 100% de financiamento.

Importa ainda referir que ao optar por esta modalidade, o pagamento das prestações mensais pode ser feito de forma personalizada e com uma periodicidade ajustável. Durante o período do contrato tem ainda a possibilidade de arrendar o imóvel a terceiros.

No entanto, o leasing imobiliário também apresenta algumas desvantagens. Uma delas prende-se com o facto de todas as intervenções que sejam necessárias na habitação ficam a cargo do locatário, ao contrário do que acontece com um contrato de arrendamento, cujos encargos são da responsabilidade do senhorio.

Porém, se porventura necessitar de intervenções mais aprofundadas, estas são da responsabilidade do locador.

Por outro lado, no caso de se verificar o incumprimento no pagamento das rendas, e se o imóvel pertencer a uma instituição bancária, é mais fácil de proceder à sua penhora. Uma outra desvantagem desta modalidade tem que ver com o facto da isenção do IMI não se aplicar.

Ora, optar pelo leasing imobiliário poderá ser a solução ideal para quem sonha em comprar uma casa, mas não tem capitais próprios para despender no valor da entrada inicial (como, normalmente, é o caso dos jovens).

No caso de já ser proprietário, mas verificou que a sua atual habitação não tem espaço suficiente para que possa aumentar a família, então poderá recorrer a esta modalidade. Ao mudar-se para outra habitação, pode arrendar o seu primeiro imóvel.

Posto isto, o leasing imobiliário traz uma série de benefícios, contudo não é alheio a desvantagens. Assim sendo, antes de tomar uma decisão analise bem as suas prioridades para que possa tirar o máximo partido da sua escolha.